GOVERNO DO ESTADO DE SÃO PAULO



Decreto nº 50.594, de 22 de março de 2006

Cria, na Divisão de Proteção à Pessoa, do Departamento de Homicídios e de Proteção à Pessoa - DHPP, a Delegacia de Crimes Raciais e Delitos de Intolerância e dá providências correlatas


GERALDO ALCKMIN, GOVERNADOR DO ESTADO DE SÃO PAULO, no uso de suas atribuições legais,


    Decreta:

    Artigo 1º - Fica criada, na Divisão de Proteção à Pessoa, do Departamento de Homicídios e de Proteção à Pessoa - DHPP, da Polícia Civil do Estado de São Paulo, da Secretaria da Segurança Pública, a Delegacia de Crimes Raciais e Delitos de Intolerância.

    Artigo 2º - Os dispositivos a seguir indicados do Decreto nº 24.919, de 14 de março de 1986, passam a vigorar com a seguinte redação:

    I - o inciso III do artigo 3º, com nova redação dada pelo artigo 1º do Decreto nº 27.017, de 21 de maio de 1987:

    "III - Divisão de Proteção à Pessoa, com:

    a) Assistência Policial;

    b) 1ª Delegacia de Polícia;

    c) 2ª Delegacia de Polícia;

    d) 3ª Delegacia de Polícia;

    e) Delegacia de Crimes Raciais e Delitos de Intolerância;"; (NR)

    II - o artigo 8º:

    "Artigo 8º - A Divisão de Proteção à Pessoa tem as seguintes atribuições:

    I - por meio da 1ª Delegacia de Polícia, executar as atividades de prevenção e repressão aos crimes contra a liberdade pessoal cuja autoria seja desconhecida;

    II - por meio da 2ª Delegacia de Polícia, proceder às investigações sobre o paradeiro de pessoas desaparecidas e identificação de cadáveres;

    III - por meio da 3ª Delegacia de Polícia, executar, por determinação do Delegado de Polícia Diretor do Departamento, atividades de preservação da integridade de testemunhas, acusados e vítimas supérstites, ameaçadas em virtude de depoimentos ou informações que levem a prevenir ou reprimir atos criminosos, desbaratar quadrilhas ou facultar a produção de provas em processos penais;

    IV - por meio da Delegacia de Crimes Raciais e Delitos de Intolerância:

    a) reprimir e analisar os delitos de intolerância definidos por infrações originariamente motivadas pelo posicionamento intransigente e divergente de pessoa ou grupo em relação a outra pessoa ou grupo e caracterizados por convicções ideológicas, religiosas, raciais, culturais, étnicas e esportivas, visando a exclusão social;

    b) manter atualizado banco de dados com informações originárias de inquéritos policiais, processos judiciais e quaisquer outros meios de informação, inclusive colhidas junto à comunidade ou por meio de denúncias anônimas.". (NR)

    Artigo 3º - Este decreto entra em vigor na data de sua publicação, ficando revogadas as disposições em contrário, em especial o Decreto nº 39.917, de 13 de janeiro de 1995.

    Palácio dos Bandeirantes, 22 de março de 2006

    GERALDO ALCKMIN


(*) Revogado pelo Decreto nº 57.537, de 23 de novembro de 2011 Legislação do Estado

Publicado em: 23/03/2006
Atualizado em: 24/11/2011 10:53

50.594.docClique com o botão direito do mouse na imagem ao lado e selecione a opção 'Salvar destino como...'